sábado, 31 de março de 2012

Dica de Leitura: A Estratégia do Oceano Azul

Livro de W. Chan Kim & Renee Mauborgne






O livro apresenta uma nova maneira de pensar sobre 


estratégia, resultando em uma criação de novos espaços (o 


oceano azul) e uma separação da concorrência (o oceano 


vermelho). Os autores estudaram 150 ganhadores e 


perdedores em 30 indústrias diferentes e viram que 


explicações tradicionais não explicavam o método dos 


ganhadores. O que eles acharam é que empresas que criam 


novos nichos, fazendo da concorrência um fator irrelevante, 


encontram um outro caminho para o crescimento. O livro 


ensina como colocar em prática essa estratégia.


bem interessante...recomendo






grande abraço a todos

Motivação e Liderança em Farmácias - Parte 2


Um líder depende de características pessoais ou a liderança pode ser aprendida?
·         A liderança é aprendida, pode ter profissionais que tenham mais habilidades que outros em algumas situações, mas ela é aprendida. Existe um mito que o líder nasce feito, ELE NÃO NASCE FEITO ELE SE CONSTRÓI

O líder pode ser uma influência positiva, que motiva aos outros funcionários atingirem suas metas?
·         Sem sombra de dúvida inclusive pelo seu próprio exemplo, os funcionários o querem seguir!!!

 A motivação depende de uma boa liderança?
·         Sim e não! Sim, pois aqueles que querem se auto motivar e aproveitam as ferramentas, vão crescer sempre, mas existe um tipo de funcionário que não quer nada mesmo (o famoso laranja podre), neste caso o líder tem que investir nele uma duas vezes e na terceira tirar ele da empresa e sem dó! Pois incompetência e falta de comprometimento prejudica toda uma empresa e dá muito mau exemplo, além de prejuízo.

 Quais vantagens têm uma empresa que sabe motivar seus funcionários?
·         É muito simples tem resultados muito maiores e melhores, pois os funcionários sabem por que estão trabalhando na empresa, gostam e querem cada vez mais crescer e se desenvolver com a empresa.
·         Vendem a marca e imagem da empresa.

Quem é responsável pela motivação das pessoas dentro de um ambiente organizacional?
·         Tudo começa pelo dono da empresa, ele é o gestor/maestro, ele tem que contaminar toda a sua equipe na busca destes motivos para ações;
·         Ele tem que ser o exemplo;
·         Não adianta contratar um excelente gerente motivador se o dono o desmotivar logo, ou não deixar que ele use as ferramentas de forma correta, ou se o dono não acreditar nestas ações e ferramentas;
·         Cada um também tem sua parcela de responsabilidade com seu setor e com a empresa como um todo;
·         É um ganha e ganha de todos.

adaptado das aulas do Prof Alexander Baer

grande abraço a todos

sexta-feira, 30 de março de 2012

Motivação e Liderança em Farmácias - Parte 1

De que maneira os donos de FARMÁCIA podem motivar seus funcionários?
·         Primeiro: eles tem que ver a sua farmácia como um negócio e não apenas como uma farmacinha de bairro, esta era já acabou, mas tem muito dono e gestor de farmácia que ainda pensa assim;
·         Segundo:  eles tem que ter um direcionamento estratégico, ou seja, saberem claramente para onde querem ir ao futuro, isto dá a toda a empresa o rumo para o futuro; "Quando não sabemos para onde ir, Qualquer lugar serve"
·         Terceiro: conhecer o seu mercado como ninguém;
·         Quarto: ter um plano de ação (objetivos e metas) para cada uma (das) farmácia(s) e sua(s) equipes a curto, médio e longo prazo: 
·         Valorizar a sua equipe (TODOS), e não é com dinheiro, mas sim: ouvi-los, ter um claro processo de comunicação, ótimo relacionamento, valorização do trabalho deles, premiar quem merece, conversar quem precisa de melhorias;
·         Buscar a profissionalização da sua farmácia e de toda sua equipe de forma constante.

As ‘táticas’ de motivação devem ser diferentes para os diferentes cargos? Como por exemplo, para um farmacêutico ou para um atendente/balconista?
·         Temos que deixar claro que Motivação como a psicologia já diz: “Motivos que levam à Ação” com isto motivação não é dado em pílulas, mas através de ferramentas que possam ajudar o processo de autoconhecimento na busca que o motiva a estar lá trabalhando;
·         Cada ser humano tem diversos níveis de motivação (motivos que o levam à ação) e de expectativas de se auto motivarem e de serem motivados, com isto é de fundamental importância conhecer cada tipo de “cliente interno”, pois cada um pode se motivar de formas diferenciadas, alguns com valorização pessoal e profissional, alguns com prêmios, alguns com cursos e palestras, alguns com dinheiro, e assim por diante. Quando se conhece como ninguém seu cliente interno é muito fácil identificar ações para dar ferramentas para eles se motivarem.

Qual a importância da figura de um líder dentro da empresa, ou no caso, da farmácia?
·         O líder olha lá para frente e busca todas as ferramentas para que sua equipe o siga nesta direção do sucesso e resultados;
·         Um líder ouve;
·         Um líder se comunica;
·         Um líder trabalha em EQUPE e não em EUquipe;
·         Um líder domina seu trabalho;
·         Um líder ajuda;
·         Um líder tem uma visão do posto como um todo, ou seja, uma visão sistêmica;
·         Um líder pensa e age estrategicamente.
·         Um líder foco no ser humano, pois gente é que faz acontecer.

Texto adaptado de aulas do Prof Alexander Baer - FGV

Mais tarde voltamos com a Parte 2 deste assunto

grande abraço

Marcos Castello

Turismo Cultural - A Alma de sua Viagem

Turismo e Cultura – Aproveitando os aspectos culturais do Rio de Janeiro e São Paulo
Quem se programa para fazer um passeio diferente e conhecer a alma de um lugar pode começar a perceber que fazer esse tipo de viagem ao Rio de Janeiro e São Paulo pode ir muito mais além do que pensa. Afinal, as duas principais metrópoles brasileiras (uma por conta dos negócios, outra por ser o principal destino de turismo de passeio da América do Sul) tem mais encantos do que simplesmente o que se vê em seus pontos turísticos usuais. No caso do Rio de Janeiro essa diferenciação é ainda maior do que em São Paulo: a cidade maravilhosa não é só praia – tem também programas culturais e de contato com a natureza, assim como a caótica capital paulista, que apesar da correria e do trânsito também guarda bons refúgios a quem quer realmente conhecê-la.
Um motivo a mais para fazer reservar de um hotel e partir logo para desbravar as grandes cidades do sudeste brasileiro é o custo-benefício dessa visita, principalmente no que concerne ao transporte: como fazem parte da chamada “ponte aérea”, cidadãos de todo o Brasil podem conseguir preços especiais nas passagens de avião para esses locais, pelas mais variadas companhias – isso, claro, se a compra for feita com antecedência. De véspera é quase impossível achar avião ou ônibus com vaga para essas cidades, principalmente para a capital paulista, que fica lotada durante toda a semana por conta dos eventos de negócios. Portanto anote aí que a primeira ação do planejamento de viagem é pesquisar e reservar hoteis perto da Av. Paulista em São Paulo, ou hoteis no Rio de Janeiro em Copacabana, se preferir praia, antes de fazer a compra das passagens ou a lista dos pontos a visitar.
Em São Paulo a história do Brasil está por todos os lados: de museus a bairros, memoriais a parques, já que o mundo inteiro parece se concentrar nesse gigante formigueiro paulistano. A cidade abriga bairros tipicamente italianos, japoneses e nordestinos e conta com a história do contexto de imigração dessas e outras culturas para a grande São Paulo. Procure pelo Memorial da Imigração Japonesa, o Memorial da América Latina, o Museu da Independência e o moderníssimo Museu da Língua Portuguesa para se inteirar de tudo o que é preciso saber sobre o solo brasileiro e o continente africano. No Parque do Ibirapuera, um dos mais tradicionais da cidade, é possível viver um dia de domingo fora de São Paulo, com descanso completo e ouvindo sotaques que remetem ao nordeste do Brasil. A cidade também é o principal centro brasileiro de cultura e arte e, por isso, teatros e casas de espetáculo não faltam para que você possa se deliciar durante o passeio. Além do Teatro Municipal, “o pai de todos”, que prima pela beleza arquitetônica e importância histórica, visite outros mais, como Teatro Folha, Alfa, Abril, Imprensa, Sesc Anchieta, Oficina e Espaço Parlapatões, para ficar em apenas alguns dos espaços culturais cuja programação você não pode perder.
Quem também não perde nenhum ponto nesse quesito é o Rio de Janeiro, com vários teatros e casas de show onde é possível ver de perto o trabalho vívido que deu asas aos principais nomes da indústria cênica brasileira. Para quem quer ir mais além na história da cidade e do país, os museus são uma boa pedida, como o Museu Nacional da UFRJ, Museu Imperial e o Museu da República. Para quem gosta de espaços alternativos estão por lá o Museu Nacional de Belas Artes e o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. E apesar de ter lindas e imperdíveis praias o Rio é uma cidade – maravilhosa – que convida os visitantes a curtir muito mais de sua exuberante natureza através do passeio pelos seus belos parques e reservas naturais. Uma boa pedida é conhecer a Floresta da Tijuca, a maior floresta urbana do país, e se aventurar pelo Morro da Gávea, cujo cume dá a opção para que o visitante desça através de voo livre feito por asa delta.
O importante é conhecer o que a grande maioria dos turistas não vê e reportar se São Paulo é terra das garoas e da cultura, além de nos contar se com todos esses tipos de diversão o Rio de Janeiro continua lindo.
                                                                                                                                    Anabela Calegaro
                                                                                                                                www.falaturista.com.br 

um grande abraço a todos

Marcos Castello

PS: Obrigado especial a Anabela Calegaro pela contribuição com este belo texto.