segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Dia Nacional do Farmacêutico - 20 de Janeiro

Dia do Farmacêutico - 20 de janeiro

Diversas entidades farmacêuticas paulistanas se reuniram em São Paulo (SP) em 1985 e escolheram o dia 5 de agosto, data de nascimento de Rodolpho Albino Dias da Silva, o criador da 1ª farmacopéia brasileira,para homenagear a categoria, outros sugeriram que a data coincidisse com a da fundação da primeira Faculdade de Farmácia do Brasil, entre outras datas.


Em 1988, solicitou-se ao Conselho Federal de Farmácia (CFF) que as festividades fossem transferidas para o dia da fundação da Associação Brasileira de Farmacêuticos, que ocorreu no dia 20 de janeiro de 1916.Farmacêuticos renomados de várias partes do Brasil, como os doutores Cândido Fontoura e o próprio Rodolfo Albino, ex-presidente da A.B.F (Associação Brasileira de Farmacêuticos), passaram a comparecer freqüentemente às festas do dia 20, que, aos poucos, foi tornando-se tradição em todo o país. O fato é que o consenso da classe farmacêutica no Brasil, representada por seus órgãos de classe como Conselhos e Associações, mantiveram a tradição do dia 20 de janeiro. 


Por isso, apesar da data oficial ser 5 de agosto, o Dia do Farmacêutico é comemorado em 20 de janeiro

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Qual a Função do Farmacêutico dentro de uma drogaria?

1- Qual a função do farmacêutico dentro de uma drogaria?

R: Este profissional da saúde é capacitado a orientar os pacientes e se dedica à Assistência Farmacêutica, que tem como intuito educar e instruir o paciente sobre todos os aspectos relacionados ao medicamento, atuando também na dispensação destes. Um bom diálogo com o paciente ajuda até na motivação do cumprimento do tratamento: mencionam afeitos adversos, validade do produto, posologia.

2- O farmacêutico pode prescrever?

R: Não, prescrição é de exclusividade do médico, o Farmacêutico deve apenas complementar as informações dadas por ele.

3- Toda Farmácia ou Drogaria tem que ter um Farmacêutico presente?

R: Der acordo com a Lei 5991/73 L, toda farmácia deverá ter a presença de um farmacêutico durante seu horário de funcionamento.

4- Em quais casos um medicamento poderá ser substituído da receita?

R: De acordo com a Resolução nº. 16, de 02/03/07, somente é permitido ao farmacêutico, a substituição do medicamento de referência prescrito, EXCLUSIVAMENTE, pelo genérico correspondente e, neste caso, deve apor seu carimbo, constando seu nome, nº CRF, datar e assinar.

5- O que é o SNGPC?

R: O Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados – SNGPC é um instrumento informatizado para captura e tratamento de dados sobre produção, comércio e uso de substâncias ou medicamentos sujeitos a controle especial.

6- Quais os estabelecimentos que deverão integrar o SNGPC?

R: O SNGPC para farmácias e drogarias particulares é a primeira etapa de um projeto maior, integrante da Política da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que deverá futuramente englobar toda a cadeia de produção (farmácias hospitalares e públicas, indústrias e distribuidoras).

7- Quem é o responsável pelas movimentações no SNGPC?

R: Esta tarefa é de responsabilidade do farmacêutico (responsável técnico cadastrado), na ausência dele o seu substituto, que deverá ser também cadastrado no sistema de segurança da Anvisa.

8- Pode ser vendido medicamentos antibióticos sem receita médica?

R: Não, o comércio desse tipo de medicamento é permitido apenas com a retenção de uma das vias da receita médica, prática que foi estabelecida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em 2010.

9- Pacientes hipertensos podem ir até a farmácia para fazer o controle da Pressão Arterial?

R: Sim, Na farmácia podemos oferecer um serviço diferenciado ao portador da hipertensão, onde além do medicamento habitual e dos profissionais treinados, seria interessante encontrar tudo relativo a saúde do hipertenso.

10- Você sabe o significado das tarjas (faixas) dos medicamentos?

R: Os medicamentos são classificados conforme o grau de risco que o seu uso pode oferecer à saúde do paciente. Para esta classificação, foi adotado o critério de tarjas (faixas):
  • Não tarjados (ou OTC) ou MIP (medicamentos isentos de prescrição) ou de venda livre;
  • Tarja vermelha sem retenção da receita;
  • Tarja vermelha com retenção da receita;
  • Tarja preta;
  • Tarja amarela

Não tarjados (OTC ou de venda livre)

Sua venda é livre. São medicamentos com poucos efeitos colaterais ou contra-indicações, desde que usados corretamente e sem abusos. Tais medicamentos dispensados sem a prescrição médica são utilizados para o tratamento de sintomas ou males menores, como: resfriados, azia, má digestão, hemorróidas, varizes, dor de dente, pé de atleta e outras.
O termo OTC vem do idioma inglês que significa "over the counter", ou seja, "sobre o balcão".É importante ressaltar que esses produtos, estão isentos de prescrição médica porque a instância sanitária reguladora federal considerou que suas características de toxicidade apontam para inocuidade ou são significativamente pequenas. Porém, sua utilização deve ser feita dentro de um conceito de automedicação responsável.

Tarja vermelha, vendidos sem retenção de receita

Normalmente são vendidos mediante a apresentação da receita. Na tarja vermelha está impresso "venda sob prescrição médica". Estes medicamentos têm contra-indicações e podem provocar efeitos colaterais graves.

Tarja vermelha, vendidos com retenção da receita

São os medicamentos que necessitam retenção da receita,conhecidos como medicamentos controlados (psicotrópicos). Só podem ser vendidos com receituário especial de cor branca.
Na tarja vermelha está impresso "venda sob prescrição médica – só pode ser vendido com retenção de receita".

Tarja preta

São os medicamentos que exercem ação sedativa ou que ativam o sistema nervoso central, portanto também fazem parte dos chamados psicotrópicos. Só podem ser vendidos com receituário especial de cor azul.
Na tarja vem impresso "venda sob prescrição médica – o abuso deste medicamento pode causar dependência".

Tarja amarela

Esta tarja deve constar na embalagem dos medicamentos genéricos e deve conter a inscrição G e Medicamento Genérico escritos em azul. "Medicamento genérico de acordo com a lei federal 9787/99).

11- Qual a diferença entre Farmácia e Drogaria?

R: Farmácia é o estabelecimento que possui um laboratório para preparação de fórmulas prescritas por profissionais capacitados (médicos, dentistas e veterinários).
E Drogaria são os estabelecimentos que apenas comercializam medicamentos industrializados, não possuem nenhum laboratório para manipulação de fórmulas.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Guilherme, 1 ano

Era uma quarta feira, 365 dias atrás, levantamos apressados as 6 da manhã, tudo arrumado, sim...tudo porque no dia anterior Dani sem mais nem menos rumou ao quarto recém terminado para arrumar as coisas do pequeno Guilherme. Fraldas, manta, fraldas, roupinhas, fraldas, saída de maternidade, fraldas, trocador, fraldas, abajur, brindes, bebê conforto....enfim, fraldas, achava que agora estaria tudo pronto, a qualquer momento ele poderia dar os sinais de que realmente estaria vindo de uma vez por todas. Esqueci de mencionar que 3 dias antes ele havia batido na trave, sabe aquela bola que bate na trave e vai por cima da linha do gol e não entra? Então....foi assim com o Guilherme no final de semana anterior, o danado já queria sair mas foi barrado pelo médico que estava a trabalho em outro município e não poderia atender naquele momento, ou seja, calma Guilherme que ainda não é para você sair. O dia previsto era 15 de agosto então ainda faltava um bom tempo, o médico falou, chegando em casa ao tomar a medicação prescrita e contar a história para minha mãe, lembro que ela disse: “mas é tempo de lua cheia, e ele é menino, meninos sempre se adiantam”. Nesse momento via o rosto de tensão de Dani. Ora, moramos em Santarém, terra de encantos dos Botos Tucuxi e Cor de Rosa, onde quem comanda a dança é a tal da lua cheia....logo pensei, lascou-se, ele virá mesmo a qualquer momento. Num pressentimento materno (coisa que nós homens jamais saberemos o que vem a ser) Dani, como já falei, rumou ao quarto para fazer as malas e naquela noite dormi (ou quase dormi) extremamente preocupado.

Dito e Feito, as 6 acordamos e ela já aguniada, pedindo para irmos ao hospital, o médico havia marcado um simples exame só pra ver como o bebê estaria, mas a Dani levou todas as malas. Lembro que o verão passado foi um dos mais quentes em Santarém e já fazia um bom tempo que não chovia na cidade e exatamente naquela manhã caiu um temporal sem tamanho, foi muita chuva e pensei comigo....é hoje!!!
Chegando no hospital, ainda sem muito acreditar que seria o dia, levei a Dani até o médico e ao se encontrarem no corredor, o mesmo pediu para Dani seguir para a sala de cirurgia, não dava mais para esperar, era o dia, era a hora, era o tão esperado momento. Naquele segundo a ficha caiu, vi Dani derramar suas lágrimas de alegria ao abraçar o médico, depositando ali toda a confiança a agradecimento. Sem mais nem menos, desapareceram com a minha mulher lá pra dentro e a enfermeira veio falar-me: “meu filho, vá dar entrada logo na internação e volte para entrar na sala de cirurgia e acompanhar o parto” Corri para adiantar essa parte e minha mãe sem saber o que estava acontecendo, perguntou: “é agora não é ?” sim falei, suba para o quarto para nos esperar e ore bastante por nós”. Esqueci de mencionar que durante todo esse tempo, em Belém, nossos parentes e amigos estavam me ligando e passando mensagens como transloucados, eu claro não atendia e nem respondia, estava nervoso demais e acabei deixando-os ainda mais apreensivos. 

Quarto arrumado, desci correndo para a sala de cirurgia, me preparei e fiquei esperando ali, imóvel, com a máquina de filmar ligada, os minutos pareciam intermináveis, milhares de pensamentos passavam pela minha cabeça sem rumo, todos entrelaçados e confusos, eu realmente não sabia o que fazer, o que esperar, com o que eu iria me deparar, como ele seria, como ele reagiria, como eu reagiria, enfim, eu estava numa salinha de espera 2x2 com o coração saindo pela boca. 7:50h o médico me chamou, ela já estava anestesiada e deitada na cama, aparelhos pelos lados, um pano verde cobrindo, anestesista ao lado dela com computador tocando um repertório dos anos 70, pra Dani não poderiam terem escolhido melhores músicas, parece até que haviam combinado, e enfermeiras espalhadas pelos 4 cantos do quarto. Segurei firme a câmera para não perder mais nada, olhei no relógio e eram 8:12, parecia que faltava pouco agora, ou não. 
Enquanto isso(não leia isso se você é fraco) o médico ia cortando devagar a barriga e o cheiro de carne queimada ía invadindo o quarto, quando de repente o médico solicitou ajuda da enfermeira, parecia que estava acontecendo alguma coisa fora do previsto: “faça força” disse ele pra Dani e também para a enfermeira. Coitada dessa próxima, ela era tão baixinha que precisava ficar em pé em cima de uma caixa pra alcançar a barriga da Dani. O médico havia constatado que Gui estava com o cordão enrolado quase 2x em volta dele, cuidadosamente ele tirou ou afastou o cordão ou sei lá como aliviou a pressão sobre o corpo do bebê e com a ajuda do anestesista rapidamente e finalmente tirou Gui de dentro da Dani, foram segundos intermináveis, olhei rapidamente no relógio, já com olhos cheios de lágrimas, eram 8:23 do dia 8 de Agosto de 2012, o pequeno Gui já respirava(e chorava) por si só e estava sendo limpo nesse momento, mostrado rapidamente para a mãe e numa rápida foto com os pais, Gui estava sendo levado para pesagem e avaliação do pediatra. Nesse momento em suas poucas forças Dani me puxou e disse: “Não perca o nosso filho de vista, acompanhe-os”. Seu pedido é uma ordem, esqueci de minha mulher e fui atrás do pequeno rebento que já estava na outra sala sendo avaliado. Tudo ok, disse o doutor, peso ótimo e perfeita saúde, vai mamar muito disse o doutor. Maldito doutor, o que ele viria a mamar, a comer e é claro a fazer uso das fraldas não está sendo fácil até hoje, parece aquele pássaro tem tem, vocês sabem, come e corre pro banheiro....

Enfim, chegando uma médica amiga de Dani, nos ajudou a vestir o pequeno padawan com sua roupinha e levar para o berçário. Nesse momento Dani já me esperava na maca do lado de fora do berçário, tremendo mais do que vara verde, devido anestesia. Iríamos já já subir ao quarto, Lá minha mãe esperava na sua eterna paciência de uma anciã. Lembrei do celular, mais de 78 mensagens, com a caixa já lotada, urrando para apagar umas 2 ou 3 mensagens para chegarem mais. Fui avisando de um por um da chegada do Guilherme e colocando em meu twitter pessoal e aqui no Face (rs) ou cara de livro como queiram. Chegamos ao quarto sãos e salvos, os 3 agora em família, eu Danielle e Guilherme Fontenelle Castello Branco, o tão esperando primeiro neto e sobrinho de ambas as famílias. A partir desse momento começaria uma nova vida, uma nova esperança, uma nova dor de cabeça, uma nova alegria para todos, até seu primeiro chorinho querendo leite, querendo colo, querendo amor....mas isso amigos são outras histórias. 


Feliz Aniversário meu filho, meu amor, minha vidinha, papai te ama eternamente

PS: quando a gente ouve o primeiro choro, é totalmente indescritível o que você pai sente em seu coração.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Lua de mel em Porto Alegre – as belezas do Sul do Brasil


Já planejou boa parte do seu casamento e agora precisa encontrar o pacote de viagem perfeito para a lua de mel? Pois saiba que a lista de lugares para se visitar a dois é imensa. E você não precisa procurar um destino no exterior para a fazer o passeio dos seus sonhos, pois a viagem perfeita pode estar perto de você, aqui no Brasil. Por que não conhecer melhor a região sul? Com belezas naturais dignas de visitas, a região ainda te dá a sensação de um friozinho europeu no inverno!
A capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre pode ser uma ótima pedida. Com aproximadamente 1,5 milhão de habitantes a cidade é uma metrópole, mas não deixa de lado suas raízes e tradições, como o famoso chimarrão. Porto Alegre é famosa por ter sido onde o poeta Mario Quintana nasceu – inclusive, hoje já existe uma Casa de Cultura em sua homenagem.
A cidade possui um vasto patrimônio cultural. Como o que pode ser encontrado na Praça da Alfândega: o Museu de Artes do Rio Grande do Sul, o Memorial do Rio Grande do Sul e o Clube do Comércio, por exemplo, ótimos destinos para conhecer um pouco mais da história da região e do país. Você também pode visitar a Catedral Metropolitana, que fica na Praça da Matriz. A Catedral inclusive conta com três painéis em sua fachada construídos na oficina do Vaticano. Nessa mesma Praça você também encontra a Biblioteca Pública e a Assembleia Legislativa.
Porto Alegre também é rica no quesito contato com a natureza. O Parque Farroupilha é bastante famoso por ser uma das áreas de lazer mais procuradas pelos moradores, também chamado de “Brique da Redenção”. No parque é possível andar de pedalinho ou ir ao minizoológico, o que pode ser um passeio super romântico. Aos domingos, acontece um tipo de feira no parque, algo como um Mercado das Pulgas.
O Parque Moinho de Ventos também oferece uma vária lista de lazer para se fazer a dois. Localizado na área nobre da capital, conta com lago, minicascata e pista para caminhada. E o melhor: ao seu redor é possível encontrar bares, cinemas e lojas para fazer compras e levar uma lembrancinha da cidade e de uma viagem tão inesquecível.
Ao optar por uma Lua de Mel em Porto Alegre, o casal ainda tem a chance de aproveitar duas cidades maravilhosas que estão próximas a capital gaúcha: Canela e Gramado. Programe um dia durante a viagem para uma esticadinha até essas duas maravilhosas cidades da serra gaúcha para desfrutar de um delicioso chocolate quente ou um vinho com fondue.
Porto Alegre é uma ótima cidade para se viajar a dois. Não deixe de incluí-la no seu roteiro para a lua de mel e aproveite esse momento maravilhoso a dois no sul do Brasil.

Anabela Calegaro
Graduada em Comunicação Social - Jornalismo

sexta-feira, 8 de março de 2013

A Mulher que eu AMO...


A Mulher que eu amo é como a estrela que brilha no ponto mais alto do céu, cintilante e atraente. Brilha sobre a Ilha do Marajó e Brilha sobre Alter do Chão, é extremamente única, dócil e arrebatadora, Mulher cuja beleza foi cativada divinamente mas tal exagero sempre pertencerá a um único homem. 
A Mulher que eu amo é como um sorriso de menina, bem meiga, dengosa e sutil. O sorriso dela me trás tranquilidade.
A Mulher que eu amo é como a beleza invisível, a que ao mesmo tempo é inexplicável e bela, que é simples por natureza e explana por simples gestos toda sua feminilidade e grandeza.
A Mulher que eu amo não é perfeita, pois essa perfeição pertence a Deus, mas mesmo não sendo Deusa, sabe trazer pra mim a cada dia, a cada sorriso, a cada gesto, um pedacinho do céu pra nossa vida.
A Mulher que eu amo é aquela que tem uma paciência única e que sempre espera que seu sapo gordo deixe tudo arrumado em casa e que perceba os detalhes de seu esforço diário para ter sempre uma família unida e feliz.
A Mulher que eu amo é aquela que sabe conversar e mostrar que não quer um sapo gordo e sim um Príncipe Encantado que saiba sempre se vestir bem, andar de cabelo cortado, saiba amar e ser amado, saiba conquistar a cada dia a mulher amada e saiba acima de tudo fazer de cada dia como se fosse um primeiro encontro.
A Mulher que eu amo é aquela que mesmo nas tristezas, nos momentos de dificuldades, nos desentendimentos, tira forças das profundezas de seu coração para renovar e fortificar ainda mais o nosso amor.
A Mulher que eu amo, é a mulher que me deu o maior dos presente que eu pude receber, nosso bebê lindão Guilherme
A Mulher que e amo é simplesmente ela... Dani Fontenelle
Te Amo pra todo Sempre amor, FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER


O Dia de Hoje ainda me torna duplamente feliz, Feliz por ter uma tesouro de mulher maravilhosa ao meu lado como a Dani e segundo por que meu segundo tesouro está completando hoje 7 meses de vida, meu fofuxo Gui. Babisco tá extremamente feliz hoje!!!!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Escritor paraense lança primeiro livro com 100% de patrocínios vindos da Internet




O jornalista e escritor Anderson Araújo, 34, lança o livro "Bêbado Gonzo e outras histórias", dia 5 de março próximo, na Fox Vídeo da Travessa Doutor Moraes, às 18h30. São 25 contos e crônicas, entre textos inéditos e reeditados do blog homônimo criado em 2009. Com histórias com personagens, cenários e situações de Belém, fugindo do regionalismo tradicional, a publicação foi viabilizada com apoios feitos por crowdfunding,  financiamento coletivo através da Internet, inaugurando no Pará uma nova forma de captação de recursos para autores sem editora.
Bêbado Gonzo passou uma campanha de arrecadação de dois meses. O projeto para financiar o livro ficou hospedado no mais tradicional site de financiamento coletivo do Brasil, o Catarse (www.catarse.me), criado em 2009. O autor estipulou o valor de R$ 6.818 para produzir a primeira tiragem e, ao final da empreitada, conseguiu R$ 8.010. Para Anderson, a nova forma de captação de recursos pode ser uma alternativa ao eterno "pires na mão" dos novos escritores ainda sem editora ou patrocinadores para tornar um projeto literário em realidade. 
"Foi uma alternativa satisfatória, principalmente, em se tratando de Belém, uma cidade com pouca tradição de editores, de gente realmente interessada em produção nova para transformar em produto e colocá-lo nas estantes para a venda. Espero que experiência com o Bêbado Gonzo estimule novos autores a transformarem suas ideias em livros de verdade. Torço por isso", diz o escritor.
O livro recebeu apoio em doações em dinheiro, entre R$ 20 e R$ 1 mil, de 91 pessoas de Belém e várias cidades paraenses, como Castanhal, Marabá, Paragominas, Santarém e Tucuruí, mas também de municípios de outros Estados como Macapá, Fortaleza, Brasília, São Paulo e Porto Alegre. Segundo o idealizador da proposta, o êxito da campanha está ligado à boa vontade dos que já conheciam os textos no blog, mas também a facilidade de comunicação e propaganda através das redes sociais virtuais, como Facebook e Twitter.
O livro tem contos e crônicas que mostram detalhes pitorescos e situações típicas de Belém, como na crônica de abertura do livro "O choro da pata" e no conto/crônica "O conto secreto do maldito palhaço assassino de gatos". A obra tem ainda situações improváveis como o a capital paraense sob ameaça no conto "Zumbis em Belém" e a prisão de um serial killer de corruptos em "O assassino". Há ainda textos líricos e íntimos como "A visita", "A máquina de escrever" e "O canto do galo", mas também situações tragicômicas baseadas em relatos cotidianos e nas observações do autor, como repórter que é há quase dez anos, é o caso de "Rasga-bíblia", "Maquinho Galo Duro" e "A balada perdida de Carlos Enoque".
"Bêbado Gonzo"  foi editado pelo autor e tem projeto gráfico da designer e publicitária Gabi Dias, ilustrações de  Diego Michel e diagramação de Érico Miranda. O livro tem 192 páginas e estará à venda nas lojas da Fox Vídeo (na Travessa Doutor Moraes e na Doca de Souza Franco) por R$ 29,90.  Em breve, a publicação também estará disponível em Ebook.

Serviço:
O livro "Bêbado Gonzo e outras histórias", de Anderson Araújo, será lançado no dia 5 de março (terça-feira), a partir das 18h30, na Fox Vídeo, que fica na Travessa Doutor Moraes, 584, bairro de Batista Campos, entre a Avenida Conselheiro Furtado e Rua dos Mundurucus.

Confira o Trecho da crônica de abertura do livro, "O choro da pata":
"(...) O pato e a pata pareciam conscientes do seu destino. Nas horas derradeiras, eles perceberam a movimentação e não saíram para o quintal. Ficaram ambos acuados no canto onde dormiam, faziam amor e ela colocava os ovos, com os olhos arregalados que os patos têm a vida inteira.
Da janela, ficamos olhando os dois, morrendo de dó. Condenados à morte por crime nenhum. Muita injustiça. Minha irmã Andréa chorava e eu ali, indignado e de mãos atadas contra a tirania dos adultos.
A hora havia chegado e minha tia Kátia, sem muito preparo para a tarefa, foi ser o verdugo das aves. Por algum motivo desconhecido, ela pegou primeiro o patarrão. Ficamos apavorados.
Ele se debateu todo, mas foi dominado pelas asas. Era um bicho bonito, grande, com penas escuras meio esverdeadas, a cabeça branca e aquela membrana vermelha em cima do bico, para dar o charme.
Resolvi me traumatizar de propósito e assistir o abate do amigo emplumado. Era minha forma de dizer adeus. Ele foi levado para o jirau e levou uma pancada para ficar zonzo e não se mexer muito durante a decapitação. Quando a faca foi baixar no pescoço, não tive coragem de olhar. Desviei e o mundo começou a apresentar as surpresas próprias do caos.
Sem muita força, Kátia jamais desconfiou que o bicho não desistiria fácil. No golpe mal dado, o animal se desprendeu, saiu rebatendo panelas, derrubando cacarecos e lambuzando o quintal de sangue para desespero dos pequeninos que já estavam na porta da cozinha para assistir à cena bizarra.
Ninguém teve coragem de impedir a última caminhada do patarrão que, como um zumbi, andava milagrosamente com a cabeça pendurada por um fio de pele, degolado. Mesmo morto, ele tomou o caminho de sempre e foi para o canto que sempre ficava com sua companheira.
Corremos para a janela lateral para acompanhar aquele espetáculo inacreditável. Ao ver o marido chegar, sem cabeça, em andar troncho dos mortos-vivos, a pata recuou até onde não pode mais, como se fugisse do horror, e ficou imóvel diante da cena.
Com a ferida letal, o pato parou a pouco mais de um metro da fêmea e deu os últimos suspiros já sem nenhuma força para continuar sua demonstração impressionante de resistência.
A essa hora as crianças já choravam. Os primos menores, sem entender muito, ficavam na ponta do pé para espiar pela janela o que estava acontecendo e os adultos também pararam tudo para olhar. Minha mãe inclusive lamentou não ter uma filmadora para registrar aqueles momentos estranhíssimos.

Muito comovido, assisti a todo o desenrolar do último adeus do pato e, diante do fato, o primeiro sinal de vocação para a função que me acompanha até hoje se revelou e estampei a manchete sonora: OLHEM! A PATA ESTÁ CHORANDO! (...)".

Confira a orelha do livro escrita pelo jornalista Paulo Silber:

"Não é de hoje que jornalismo e literatura se cutucam – com ternura e implicância.

Eis que surge o Anderson Araújo, com seu jeitão atrapalhado, para impor ordem na mistura. Para orgulho de Dona Clarisse, se fez repórter, mas deixou guardadinha a identidade secreta de escritor. Agora, Anderson se expõe sem medo. Como um Clark Kent com a sunguinha do Superman sobre o paletó.

O namoro entre jornalismo e literatura é amor explícito. Feito a paixão do quarentão Tomás Gonzaga pela ninfeta Maria Doroteia – no poema que faz a gente desejar uma Marília pra nos chamar Dirceu. Noutras vezes, é romance dissimulado. Como o olhar melífluo de Capitu para Escobar – na prosa que nos impede de ser tão casmurros. 

Enfim, é uma relação sedutora, alinhavada pela paixão por palavras, a compulsão por leituras, qualidades que afloram nas crônicas do Anderson Araújo. Elas são atrevidas, mas românticas. Sublimes e sarcásticas. Até mesmo agressivas, enquanto acariciam. São tão objetivas quanto insinuantes. Subjetivas, sem dispensar a narração pragmática dos fatos.

O Anderson, afinal de contas, é jornalista – mesmo quando não parece. Mas é em essência escritor – até quando não pretende.
 
Parodiando Dom Casmurro: ele tornou-se melhor discípulo do que os mentores. Como o Dirceu de Marília, percebeu que se tornam frias as glórias que vêm tarde e tratou de aquecê-las. Tornou-se um contador de histórias vestido de repórter, em pele de escritor. Só faltou a sunguinha do Superman, mas isso Dona Clarisse não aprovaria."

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

ITINERARIO PRA AMANHA


06:30 - Início do Fim
07:00 - Chuva de meteoritos
08:30 - Chegada da primeira tsunami
10:00 - Boas vindas dos OVNI's
10:30 - OVNI's dançando Gangnam Style em flashmob
11:36 - Início da Destruição
12:00 - Eclipse e alinhamento de todos os planetas do sistema solar
12:00 a 14:00 - pausa latina para almoço
14:15 - Inversão dos Pólos Magnéticos da Terra
15:00 - Super Aquecimento Global
16:30 - Início da Aniquilação dos Terráqueos
17:00 - Show do Kiss
18:00 - Revelação de Terráqueos Alienígenas
19:00 - Resgate de prisioneiros da área 51 e de Varginha
20:00 - re-abertura do túnel São Tomé Das Letras/Machu Picchu
21:00 - Aproximação do planeta Nibiru
22:00 - Revelação de amigo secreto dos UFO's
23:00 - Chegada do Tinhoso pra terminar o serviço
23:30 - Fim do Mundo(show de encerramento com Luan Santana)